Início > aleatório, maldade, texto > Maldade – Pensamentos Soltos

Maldade – Pensamentos Soltos



Minha maldade não é de nascença.

Minha maldade foi aprendida

Quero conhecer e aprender mais sobre a maldade.

Então poderei usá-la quando me atacarem.

Mas minha maldade terá estilo

Não será uma maldade comum, trivial, algo que você já conhece.

Minha maldade virá revestida de bondade, de sorrisos, de promessas

Minha maldade será a armadilha no jardim onde a brisa balança calmamente as folhas.

A maldade é sempre o fim.

E a bondade é o começo.

O começo sempre é bom, agradável, suave, macio.

Então no final vem a maldade.

A maldade não passa da interpretação negativa da realidade.

Dá-se ênfase apenas para o lado ruim do que aconteceu.

Em qualquer jardim existem ervas daninhas, o jardim não seria completo sem elas.

Seria fácil generalizar:

O começo é a semente do mal.

Tudo que começa bem, termina mal, logo…

Para algo terminar bem, teria que iniciar mal.

O começo deve ser o pior possível.

Ou talvez depois nos acostumemos aos espinhos…?

Eles nos ferem, mas ao mesmo tempo protegem.

Sem o espinhos que nos penetram, estaríamos desprotegidos, com buracos por todo o corpo.

“Auto-punição não passa de um truque para você se sentir melhor momentaneamente” (Kaji, no Episódio 25 de Neon Genesis Evangelion)

É, a lamentação realmente distrai. É outro comportamento auto-destrutivo com uma recompensa a curto prazo.

Masoquista mesmo.

Mas essa é a maldade que faço comigo mesmo.

Existe a maldade alheia.

A maldade alheia consiste em muitas coisas, uma delas é a implicância recorrente quanto a tudo que eu faço, digo ou penso.

E pra que ela serve? Pra me forçar a fazer algo pelos outros.

O descontentamento constante é uma forma de controle violento, mas sucinto e delicado ao mesmo tempo.

É explorar o meu sentimento de culpa além do necessário, do humano, do decente.

Enquanto você(s) reclamarem, eu não poderei sentir-me bem consigo mesmo, e é isso que você(s) almejam: através do descontentamento alheio, tentam me transformar em alguém descontente.

Talvez eu me lamente, lamente e lamente… mas qual a diferença de alguém que critica, critica e critica?

É, a falha é a mesma, só mudam as figuras e as formas.

Sempre descontente, sempre acusando… um ser humano não pode viver em paz assim. Este é o inferno na terra.

Essa é a maldade alheia, a incapacidade de amar, de aceitar amor, carinho, atenção.

Mesmo de quem não sabe o que é amar, mas que ao menos tenta.

Toda ação tem uma reação.

Faça esse exercício: Quando se sentir agredido(a)… verifique se não foi VOCÊ quem agrediu primeiro.

Esse é o ciclo eterno dos asuras, toda ação causará um resultado a altura.

O ser humano, como animal cego, egoísta, insensível, reagirá a bondade com a maldade.

É a lei do karma passando pelo filtro humano:

Bondade que gera maldade; maledicência.

Anúncios
Categorias:aleatório, maldade, texto
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: