Início > carta ao meu eu passado, mulheres > O Paraíso é Logo Ali?

O Paraíso é Logo Ali?



Oh, escrevo eu uma carta para o meu eu passado:

“Olá, sou seu eu do futuro.

Vim aqui te contar umas coisas, mas acho que você não vai acreditar.

Você vai receber essa mensagem e distorcer ela, pois essa é a lei do mundo.

No fim, não importa o que você faça, fale ou pense, se você vive num mundo onde existem mais pessoas, elas sempre vão entender tudo errado.

Mas não chore por causa disso, nem lamente.

O sofrimento surge quando se nega essa verdade básica: ninguém entende ninguém.

Depois de aprender isso, aí então o mundo começa a fazer algum sentido.

Imagine o mundo como um produto, e o termo de garantia é que nada funciona como você espera.

Essa é a ordem no caos.

Se o mundo é uma loja, imagine a sua atenção como um produto:

Você dá muito valor a esse produto, então a tarja de preço que coloca nele tem vários zeros (a DIREITA)…

As pessoas que passam pela sua loja, no entanto, com sua visão espelho, enxergam os zeros a esquerda.

ZERO A ESQUERDA.

Acredito que já tenham ouvido falar disso: Zeros a esquerda, números que não acrescentam valor nenhum.

Tem pessoas que fica ali meditando, criando teorias, conspirando sobre os zeros a esquerda.

E deixam de ver o resto.

O mundo é míope, ou vesgo, outro ditado popular.

Eu? Não, eu também sou míope, vesgo, também vejo as coisas tortas.

Agora eu me (te) pergunto…

Daonde você tirou a idéia que a mulher é o paraíso na terra?

Quando você, garoto tímido, complexado, introspectivo, começou a acreditar nessa idéia? É uma idéia enraizada lá na adolescência, nas taras das muitas punhetas de quinze anos.

Mulher = parque de diversões.

Essa era a matemática básica da coisa, NAQUELA época…

Uma vida inteira depois, você descobre que os brinquedos estão enferrujados, que os atendentes são zumbis, que os brinquedos tem uma duração de passeio muito curta.

Não posso negar, alguns momentos são “mágicos” mesmo…

Mas vale curtir essa psicose toda pra ficar com alguém?

Nossos relacionamentos mais próximos iniciam na infância com nossos pais.

São aqueles adultos que nos fornecem atenção, carinho, alimentação, abrigo, estudo… geralmente em troca da nossa saúde mental.

Eles tem uma estória pior que a nossa, e tentam fazer o melhor para que crescamos com saúde, mas em algum momento ali o bolo não sai muito certo.

E o processo se reinicia. Continua até hoje, algum sucesso tem, senão não continuaria não é?

Então, meu eu passado, o aviso que te dou é:

Cuidado com as mulheres. Você banca o bonzinho, com medo da rejeição, mas não importa o quanto você ame, goste, ou se dedique por alguém. Não importa. Não faz diferença.

Entendeu?

Você cresceu revoltado com as traições que via entre os casais. Você mesmo disse esses dias “Toda ação tem uma reação”.

Sim, você não é tão burro nem tão retardado pra não ter entendido as coisas até aqui não é?

O homem pode até subjugar a mulher… o que ocorre geralmente fisicamente. Mas a mulher o faz psicologicamente.

Eu ainda acredito que exista, que é possível o relacionamento homem e mulher. Se eu não acreditasse, não continuaria tentando, iria para as montanhas, viver pelado na natureza.

Entretanto, é necessário que seja realizada uma revisão dos conceitos.

É como planejar uma caminhada sem levar em consideração o terreno: você pode até chegar lá, mas vai estar tão estropiado que não vai curtir a chegada.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: